Feira Future Print faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Destaques Xperience 29/09

Destaques Xperience 2909.png
Sustentabilidade; nostalgia e tendências em estamparia; presença digital e colaboração. Tudo isso para alcançar mais clientes e -consequentemente – vender mais

Tendências em impressão sob demanda para tecidos

“O print-on-demand é uma inicialização do empreendedorismo, tecnicamente por imprimir depois da venda, pois há o site, a estampa é divulgada ali; vende-se, produz e depois entrega ao cliente”, acredita Douglas Losacco, fundador e diretor comercial da Básico&Co – ele mesmo começou vendendo sob demanda, mas utilizando sublimação e com fornecedores terceirizados e nesse período soube de modelos do POD nos Estados Unidos e trouxe a proposta ao Brasil.  

Losacco explica que essa é uma tendência global e cada vez mais fácil de ser colocada em prática. “Mas é necessário saber o que vai ser vendido. Em alguns casos deixar de focar na produção, na impressão em si e se dedicar no modelo de negócios.”

Claudio Silva, sócio proprietário da Camisetas Rápido, “O POD traz sustentabilidade e consumo mais consciente”.

Tendências para estamparia na moda para a próxima estação

O conceito de sustentabilidade também está inserido no processo de estamparias com um menor uso de água, nos temas a serem utilizados pela moda como estampa na próxima estação ou ainda em uma “ressignificação” de antigos temas; como o que é feito pelo designer Gary Graham que aproveita tecidos muito antigos na estamparia.

Segundo Walter Rodrigues, a tendência está seguindo alguns caminhos, como o uso de estampas que simulam desenhos aquarelados de flores paralelamente ao uso de temas florais bem definidos nas estampas; grafismos, especialmente com influências africanas ou com coloridos fortes e maximalismos simulando uma tela, criando a sensação de multiplataforma de comunicação.

Como o Google pode ajudar sua empresa a crescer

“O Google funciona com intenção (maior buscador e bando de dados de intenção) e alcance (90% dos usuários da internet do mundo). São feitas mais de 3 bilhões de pesquisas diariamente no google. A maneira como as pessoas pesquisam evoluiu”, explica o CEO da COADS e digital marketing specialist HostGator Latam, Thiago Cordeiro.

Quais as principais vantagens em anunciar no Google:

  • Fácil mensuração
  • Mais acessível
  • Grande variedade de segmentações
  • Alteração em tempo real
  • Pagamento por clique

Mas qual seu objetivo?

Cordeiro explica que é necessário saber o que você pretende ao anunciar no buscador. Pretende aumentar visitas no seu site?

  • Receber mais ligações?
  • Mais pessoas na sua loja?
  • Alcance e reconhecimento?
  • Geração de leads?
  • Conversões?

Como seu anúncio é exibido.

Existem ferramentas que posicionam seu anúncio no Google para impactar seus clientes:

  • Palavras-chave
  • Demografia
  • Interesse
  • Comportamento
  • Dispositivo
  • Horário
  • Local
  • Sites

Cinco erros comuns ao anunciar

  • Segmentação ampla e orçamento reduzido
  • Páginas genéricas
  • Otimizações
  • Estrutura de conta
  • Metas conflitantes

Experiência inspiradora – parceria estratégicas para lança sua marca

"Confecções que estão se fundindo, duas ou três num atingiam resultados e se uniram, reduzindo custo e se tornaram mais competitivo. Foram para onde estava o melhor espaço. Dividiram folha de pagamento. Se juntaram para produzir e vender; as carteiras de clientes não competiam entre si. Mas veja: não é ter sócios é ter parceiros”, explica o CEO da Black West, Eduardo Cristian.

Além dessa união entre empresas do mesmo ramo, Cristian percebeu um movimento em Goiás, Santa Catarina e São Paulo: confecções se tornando incubadoras de outras empresas, como agências de marketing, cedendo espaço para que esses profissionais atendam as confecções e expandam seus serviços para outras empresas do segmento.

Confecções também “terceirizaram” suas áreas de estilo, comercializando peças piloto e modelagem, por exemplo, de acordo com Cristian.

Mudança no mercado de impressão têxtil nos proximos anos

“Hoje o mercado DTG produz 21 bi camisetas estampadas por ano e o DTF produz 41 bi metros quadrados e estimamos que em 2026 vai para 31 bi e 61 bi, respectivamente”, indica Israel Kenan, general manager Konit Digital Brazil.

Ainda segundo Kenan, esse crescimento tem que ser sustentável e com mudança de perfil: “não podemos demorar oito meses trazendo algodão de Bangladesh sendo que o Brasil é autossuficiente, temos que evitar esses entraves logísticos”, além disso hoje o mercado adota o modelo “pull” (“empurra” em inglês) produzimos e então vendemos, de quatro camisetas, uma nunca será vendida e outra volta, assim 50% da produção encalha, “podemos adotar o sistema de pool, no qual produzimos somente o que for vendid.”

A Kornitt, por exemplo desenvolveu uma solução em que grandes marcas podem fazer coleções em minutos e disponibilizar digitalmente para regiões com maquinário que personalize para atender demanda do cliente. “Com isso vamos economizar onze anos de consumo de água só nos Estados Unidos”, afirma Kenan.

Quer assistir esse conteúdo na íntegra? Clique aqui  !

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar