Feira Future Print faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sitemap


Articles from 2020 In May


FuturePrint #Conexão com você Como se reinventar em tempos de covid-19

Vamos tirar a sua empresa de UTI?

Vamos tirar sua empresa da UTI.jpg

Bom, vamos ser francos?

Eu não entendo nada de impressoras, nem como fazer o rip, trabalhar com corel draw, ilustrator ou qualquer outro software de preparação de arte, também não faço a mínima ideia de como fazer o purgue em qualquer impressora, ou fazer o gerenciamento de cores ou acabamento em adesivos ou banners, muito menos sei trabalhar com uma router, ou solda mig ou tig (elétrica eu sei um pouco), não sei fazer instalações ou dirigir e coordenador o serviço de um munk, ou guincho, na verdade sou um zero à esquerda em tudo isso.

Posso até dizer, humildemente, que sou totalmente inexperiente, ingênuo e burro nestas coisas, por um simples motivo: FALTA DE CONHECIMENTO. Simples assim.

Por outro lado, posso também afirmar que se for necessário aprender tudo isso para resolver algum tipo de problema que possa me dar mais “anos de vida”, com certeza, a minha atitude será a de aprender tudo, mesmo que me custe investimentos e muitas horas de dedicação, trabalho e boa vontade, afinal de contas é a minha vida que está em jogo.

Agora eu te pergunto, se for o caso: se a sua empresa, seus sonhos, estão na UTI (quase morrendo, com diversos problemas e sem grandes perspectivas para o futuro), o que é que você está disposto a fazer para sair desta situação? Até onde vai a sua ATITUDE, compromisso, boa vontade e trabalho para que isso possa acontecer?

Sabe que se está nesta situação é porque você tem uma boa parcela de responsabilidade nisso, certo? Não guardou em um centavo deste que abriu a sua empresa, nem mesmo R$ 100,00 ou R$ 500,00 ou R$ 1.000,00 por mês, não teve planejamento algum, talvez até não tenha pago nem os impostos, ou os encargos (FGTS e inss) dos seus colaboradores e, além disso, não se preocupou com a organização correta e gestão da sua empresa.

Sempre priorizou nas vendas, ou na impressão deixando a empresa e seus controles, se é que tem algum, na mão de outras pessoas, e, provavelmente, não escutando pessoas ligadas a você dizendo que deveria mudar aqui ou ali, ser mais empreendedor do que empresário, controlar melhor seus custos e despesas e várias outras coisas.

Não é só esta situação inovadora, que todos estamos enfrentando, que é a causa da sua empresa precisar de socorro, sair da UTI e, quem sabe, com muito esforço e dedicação, sobreviver a mais esta “tempestade”.

Veja que, no mercado, a maioria das empresas de todos os ramos de atividade (não é só o nosso), estão chorando rios e cachoeiras, pelos mais diversos motivos, mas, tem algumas, que estão vendendo “lenço”, encontraram oportunidades, estão inovando, criando perspectivas e adotando ATITUDES para vencerem estes percalços e sobreviverem mais um pouco, até que a situação se normalize.

Estou certo ou errado?

Bom, se considerar que estou errado, paciência. Desejo que Deus continue te abençoando e te iluminando para que, se continuar pensando da mesma forma, tenha o sucesso que deseja.

E, se por acaso, considerar que estou certo, eu posso tentar te ajudar, desde que você se comprometa com você mesmo, sua família e sua equipe, que quer dar a volta por cima, aprender tudo o que você precisa, ter maior ciência das coisas que não sabe, que tenha dedicação e força de vontade para trabalhar e estudar, para sair da “UTI” mais fortalecido e mais preparado.

Ahh, esta parte de ORGANIZAÇÃO E GESTÃO, modéstia à parte, eu sou MESTRE, sou expert no assunto, em todos os departamentos de qualquer tipo de empresa. Até agora, desde 1990, quando me tornei Consultor em Gestão Empresarial (e já tinha 20 anos como Gerente e Diretor em várias empresas, como colaborador), já fiz, em 748 empresas, Consultorias em Gestão (Organização da empresa e de sua equipe), sendo que 33 delas foram em empresas de Comunicação Visual, em todo o Brasil.

Então, agora, com 50 anos de experiência nesta área, posso e, garanto, estou pronto para te ajudar em todo este caminho que, sei disso, não será fácil, mas nada é impossível, só depende, única e exclusivamente, do seu querer aprender, de querer mudar para melhor, de se profissionalizar e tornar-se, realmente, um empreendedor de sucesso.

Não, não vai ser da noite para o dia. Vai ter que contar com a colaboração da sua equipe, dos colaboradores mais chegados a você, de maior confiança, para que, todos juntos, possam aprender e se capacitarem para que consigam atingir seus objetivos.

Fico à disposição, desejando que Deus o abençoe, sua família e sua empresa.

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

Porque a área de GC & SHOPPER não avançou muito no Brasil?

Porque a área de GC e SHOPPER não avançou muito no Brasil.jpg

Daniele Motta – VP de Shopper Marketing

Minha intenção aqui é trazer reflexões e especular sobre os porque, portanto, ler seus comentários sobre suas impressões será muito valioso.

A temática de GC – gerenciamento de categorias - não é nova no Brasil, mas aparece em ondas, com momentos onde o processo está em alta e todo mundo quer adotar  e em outros momentos a área é desfeita. 

Daí uma primeira reflexão,  a falta de continuidade desse processo atrapalha seu desenvolvimento e fortalecimento. Estive a frente da área de GC & Shopper da Nestle Brasil para todas as categorias e desde a organização até sua consolidação foram mais de três anos, significa que a tarefa não é simples, mas possível.

Abaixo, minhas impressões sobre os porquês da área não avançar como deveria:

1 – A diretoria tem que querer – Não resta dúvida que as transformações na organização têm que receber o patrocínio da diretoria para que o exemplo venha de cima. E não seria diferente com o processo de GC & Shopper uma vez que os insights gerados nessa área devem impactar toda a organização. No varejo essa área tem ficado junto ao time de Inteligência comercial suportando decisões de cadastro de inovação e sortimento regular. Então, se você não conseguiu convencer o líder da organização da importância da área, talvez não seja o momento ideal para implementá-la.

2 – Processo x Projeto – Um dos motivos recorrentes para a diluição dessa área é tratá-la como projeto e não como um processo: quando entregamos um planograma consideramos o projeto” entregue, e esse é um dos erros mais frequentes e que enfraquece o processo. Pessoal GC é extremamente estratégico e pode colocar sua empresa em vantagem competitiva.

3 – Simplificação do processo – outro desafio é trabalhar com o processo em profundidade e ter embasamentos importantes que conduzirão ao futuro da categoria. Como poucas empresas investem em pesquisas de Shopper, o processo tende a ser simplificado onde o planograma e o sortimento referência por canal se tornam o máximo que a área entregará. Novamente sem identificar valor relevante, a organização tende a descartar a área.

4 – Gestão de dados – quanto mais clientes atendidos ou categorias, o impacto em quantidade de dados será exponencial. Portanto pensar em ferramentas que suportem a captura, decodificação, armazenagem e que seja uma plataforma para análises e geração de insights será crucial. Portanto, empresas que não se estruturaram para receber essa imensidão de dados, tendem a reduzir escopo e abrangência consequentemente mantendo a área mais frágil.

5 – Pessoas capacitadas – encontrar as pessoas para trabalhar na área de GC & Shopper e capacitá-las é um ponto sensível do processo. Lembro como era difícil achar pessoas que já tinham passado pela área, pois o mercado ainda é carente dessa mão de obra especializada, então decidimos contratar a capacidade analítica e o comportamento curioso. Assim trouxemos pessoas de várias áreas e não necessariamente de GC, o que foi muito bom, pois como o desafio não era ser básico em GC  Shopper foi mais fácil convencer essas pessoas que o processo er muito mais do que planogramas e sortimentos. Então como existe uma escassez de mão de obra, a área pode perder o histórico e se manter “rodando” e entregando resultados.

Por fim deixo o motivo cultural da relação entre varejistas e fabricantes, infelizmente não colaboramos verdadeiramente uns com os outros. Trocamos informações e dados, mas o dia a dia não alimenta a parceria com a visão do que pode ser feito para desenvolver a categoria, para trazer novas ideias sobre exposições, sobre compartilhar e discutir alternativas de negócios. Dessa forma continuamos apenas no diálogo transacional.

Como uma incorrigível otimista que sou e que acredita que a colaboração é um caminho sem volta, eu aposto em GC & Shopper como a área que será responsável por essa transformação nas organizações, principalmente em função do mindset diferenciado necessário para atuar na área, ou seja, pensar categoria e não marca.

Então apaixonados e apaixonadas pelo tema, vamos insistir levando conhecimento e elevando o nível do diálogo. @AceleraGC

 

Semana que vem falaremos sobre conhecimento de Shopper e o impacto na organização.

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

FuturePrint #Conexão com você - Entenda como desenvolver novos produtos.

Live marketing e relação entre empresa e consumidores neste momento.

Como calcular, corretamente, o seu preço de venda (precificação)?

shutterstock_1389723656.jpg

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

Análise swot para seus negócios

swot.jpg

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

Porque a sua empresa não pode cobrar o mesmo valor do seu concorrente?

FotoCapa.jpg

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

Criatividade: Um motor que não pode ser desligado nem hoje nem amanhã

shutterstock_1346114726.jpg

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

Em qual moda eu devo apostar após a pandemia?

shutterstock_1710093553.jpg

Ao longo da existência da moda, muita coisa mudou e o mercado passou a ser, em grande parte, dirigido pelo consumismo e por influenciadores da moda. Esses dois movimentos geraram novos movimentos como a produção em larga escala, a busca por mão de obra mais barata em países subdesenvolvidos e o fastfashion.

Perceba que antes da crise o consumidor estava “aceitando” o modelo comercial de moda passageira, roupa semi descartável e muita moda parecida uma com a outra. Em outras palavras, o consumidor estava muito mais tolerante e menos crítico a respeito de como ele iria gastar o seu dinheiro.

Mas, com a nova realidade instalada pela Pandemia, o isolamento social e a crise econômica, todo o mercado consumidor retraiu e suas prioridades mudaram. A mente humana a nível global está focada em duas coisas, na “sobrevivência” e na “preservação”.

Dentro dessa nova realidade, o ser humano está vivendo em um novo “modus operandis” que ativa os seus valores mais intrínsecos e necessidades básicas. Com isso a parte do cérebro que é responsável por aceitar a compra por impulso fica bloqueada tornando mais desafiador convencer o consumidor a comprar.

Qual ficha que cai com a afirmativa acima? A conclusão é que, o consumismo sofrerá uma retração drástica.

Ok Pedro, e agora o que eu faço? A minha sugestão é que você use esse momento a seu favor e reveja o seu modelo de negócio.

Como era o seu critério para produzir o seu produto? Baseado em largas produções da mesma coisa? Qualidade mediana e preços competitivos para ganhar no volume? Baseada no que os influenciadores sociais dizem que é melhor? Seu produto é do tipo que o cliente compra para usar uma vez só? É muito específico? Faça uma profunda anamnese do seu negócio e seja sincero na avaliação.

Eu quero citar alguns pontos muito importantes, que a gente aborda nas consultorias, para você obter mais êxito no mercado de moda pós Pandemia. Todos os pontos abaixo são chamados de valores absolutos e estão conectados ao cérebro primário do ser humano, por causa disso, sempre irão despertar atenção e desejo de compra.

- Aposte em uma moda atemporal, que não limite o uso da peça sem perder o estilo. As cores azul, preto, branco, cinza e tons de vermelho até rosa são as cores mais vendidas e fáceis de combinar.

- Altere a sua modelagem para ser minimalista, para vestir mais números com uma peça só e sem perder o caimento que beneficie a beleza do corpo. Refaça o design da sua peça e pense como você pode desenvolver, por exemplo, um vestido para ser usado por pessoas P, M e G, uma calça ou short que veste do 36 ao 42.

- Transforme a sua moda em algo funcional e mais durável. Agregue valor no acabamento das suas peças para se tornarem mais atrativas e gerarem benefícios, como proteção U.V, a sujeira, a água, a transpiração, a bactérias e fungos.

- Crie peças que possam ser usadas em mais de um ambiente, algo que possam usar em casa, no trabalho e até mesmo em um happy hour. Essa seria a roupa ideal para oferecer para o seu cliente, pois você estaria oferecendo soluções e não só moda.

Se você trabalha com produção de vestuário, sugiro fortemente refletir sobre o texto acima e experimentar as novas ideias em sua empresa. Eu tenho a confiança que você terá resultados positivos, lhe desejo sucesso!

 

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.