Gestão

Indexação de cores para impressão serigráfica: como fazer?

Já dissemos em outras oportunidades por aqui que a serigrafia é um processo que  se reinventa constantemente graças à evolução tecnológica, capaz de conferir  resultados cada vez melhores. Nesse sentido, a indexação de cores é uma ótima opção para produzir estampas de alta qualidade, com baixo custo, imagens bem realistas, além de toque suave e bonito.

A seguir, saiba mais detalhes sobre a indexação de cores e como realizá-la da maneira correta em seus trabalhos.

O que é indexação de cores?

“A indexação nada mais é do que uma técnica que permite limitar o número de cores numa imagem a um conjunto específico e predeterminado de cores”, explica Sérgio Machado de Lima , o “Dr. Silk”, professor e consultor em artes gráficas.

Antes de ela existir, contudo, usava-se a impressão CMYK para obter impressões realistas e complexas na serigrafia. Com a indexação de cores, agora é possível visualizar os mesmos resultados, especialmente se a técnica for aplicada com tinta de plastisol e em substratos escuros.

Isso porque a indexação permite com que a tinta seja impressa diretamente no tecido, não havendo a necessidade de usar uma base branca.

Como a indexação de cores deve ser realizada?

“Diferentemente da impressão CMYK, a indexação de cores trabalha com um conjunto predeterminado de cores. Ou seja, na impressão CMYK, você trabalha com quatro cores (cyan, magenta, amarelo e preto), que correspondem a quatro telas serigráficas. Já na indexação de cores, o número de telas serigráficas que são usadas vai depender da quantidade de cores predeterminadas no Photoshop como cores indexadas”, explica o “Dr. Silk”.

Em outras palavras, a indexação tem como objetivo reduzir o número de cores em uma paleta, mas sem comprometer o resultado final. Para se ter uma ideia, é possível obter estampas realistas com quatro a 12 cores indexadas.

Para aplicar a técnica, é preciso salvar as cores da arte no Photoshop como “Color Look-Up Table” ou CLUT,  sendo que o CLUT funciona como um índice de cores contidas em uma imagem. Depois, os pontos da retícula em cores são dispostos lado a lado para que, dessa forma, seja possível produzir uma matriz serigráfica de alta qualidade.

As vantagens da indexação de cores

Para o professor, a indexação de cores começou a ser um tema abordado com mais frequência recentemente, justamente pelos impactos trazidos pela tecnologia na impressão serigráfica. Segundo ele, a indexação de cores na serigrafia é uma excelente maneira de obter alta qualidade impressa e estampas com imagens realistas: “não podemos deixar de mencionar, também, que o uso de tinta plastisol na impressão de cores indexadas em serigrafia proporciona um toque suave e bonito visualmente, valorizando o vestuário.”

Ficou com alguma dúvida sobre o processo de indexação de cores na serigrafia? Deixe a sua pergunta nos comentários e continue acompanhando o nosso canal digital. Até mais!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *