Feira Future Print faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Como calcular o consumo de tinta da minha impressora?

Como calcular o consumo de tinta da minha impressora.png
Para a indústria serigráfica, calcular o consumo de tinta das máquinas é fundamental. Saiba mais!

O consumo de tinta da impressora é um dos custos mais impactantes da rotina de produção de gráficas e estamparias. Apesar disso, muitos donos e gestores desses negócios desconhecem esse indicador.

Saber qual é o consumo de tinta é fundamental para precificar corretamente seus produtos e saber quanto cobrar do cliente, definindo uma margem de lucro adequada e competitiva.

 

Dicas e truques para calcular o consumo de tinta da impressora

Atualmente, fabricantes de impressoras e suprimentos utilizam os padrões definidos pela International Organization for Standardization (ISO) para medir o rendimento de cartuchos e toners e assim fornecer uma informação mais padronizada e confiável ao seu consumidor.

Esse teste leva para o consumidor que adquire determinado produto o panorama real sobre o rendimento médio do suprimento, fazendo com que se tenham dados mais precisos e proporcionando maior segurança ao tomar decisões de compra.

Entretanto, não bastam apenas esses dados para um bom cálculo do consumo de tinta: faz-se necessário, também, que o gestor ou proprietário da estamparia ou gráfica conheça o seu consumo interno desse insumo.

“Para calcular o consumo correto de tinta, o cliente precisa saber quanto é realmente utilizado na impressão conforme o equipamento, somar ao gasto na limpeza da cabeça e no sistema de manutenção da impressora”, comenta o gerente de negócios regionais LFP da Epson, Fábio Tolosa.

Outro ponto que ajuda nesse cálculo do consumo de tinta é a utilização de uma ferramenta complementar ao software RIP (Raster Image Processor), o qual já faz esse cálculo da limpeza e do consumo de tinta para grandes formatos, mencionado por Tolosa, fornecendo para o empresário o gasto real, de modo a evitar custos não programados e que a estamparia tenha algum prejuízo por não ter tinta em suas impressoras.

O gerente de produto da Epson, Sean Maximo, faz um alerta em relação a um aspecto que, por vezes, fica esquecido no momento de se calcular o consumo de tinta. “A condição dos equipamentos e o uso de tinta original ou não são fatores que podem destorcer os cálculos dependendo de sua condição”, afirma.

No caso de consumo de tinta para estamparia, deve-se levar em conta também questões como técnica e tipo de estampa a ser impressa para criar uma tabela referencial de consumo mais próxima à realidade.

Outros fatores que impactam no cálculo e no consumo de tinta

Cabe salientar que o consumo de tinta está, também, relacionado à maneira como se utiliza a impressora. Um uso correto faz com que o consumo respeite os parâmetros registrados no equipamento, evitando gastos acima do previsto e erros no cálculo de consumo. De fato, o mau uso pode sair bastante caro.

“O uso do perfil de cor de forma errada, não possibilitando padrões colorimétricos, faz com que o equipamento utilize muito mais tinta do que o necessário em diversas situações”, comenta Maximo, que ainda destaca que outros erros comuns são a forma do fechamento de arquivos, desconhecimento do tipo de arquivo e de extensões corretas e padronizações.

Outro aspecto que precisa ser contabilizado para evitar um maior consumo de tinta e consequente gasto é o retrabalho. Quando há muitos casos assim eles precisam ser contabilizados, evitando cálculos e previsões não realistas do consumo de tinta.

“Hoje, em média, 30% dos materiais de impressão saem com defeito e muitas empresas não contabilizam este retrabalho que consome seu lucro”, salienta Tolosa.

Ponto de atenção na impressão para evitar custos extras e erros no cálculo

O cálculo do consumo de tinta pelo teste ISO utiliza 5% de cobertura de uma folha A4. Qualquer variação pode aumentar ou diminuir o consumo total de tinta utilizado. Além disso, equipamentos por longo tempo parados exigem processos de manutenção como limpeza e alinhamento da cabeça de impressão, e isso faz com que haja um gasto de tinta muitas vezes não programado.

Para essa situação específica, utilizar a função duplex costuma apresentar uma redução no gasto total de tinta. Além dela, quando necessário, pode-se utilizar os modos de impressão econômica, normal e de alta definição também será um balizador nesse cálculo de modo a dar qualidade, proporcionar economia e um consequente maior lucro para a gráfica ou estamparia.

Portanto, como vimos, calcular o consumo de tinta com precisão envolve obter dados referentes tanto à sua produção quanto aos insumos. Como pode haver variabilidade conforme técnicas, configuração e outros fatores, é importante manter um monitoramento e registro constantes para compreender melhor os padrões de consumo de seu negócio. A partir disso, será possível ter uma previsão mais acurada, detectar gargalos e otimizar sua produção e gestão de custos.

Para mais dicas, confira também nosso artigo sobre como fazer o cálculo de metros por hora.

 

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Feira Futureprint lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar