Gestão

Papel transfer: como escolher o tipo mais adequado?

O papel transfer tem uma função extremamente importante no processo de impressão de estampas e, por isso, saber escolher o tipo mais adequado é requisito básico para um trabalho de qualidade. Afinal, é ele que recebe, inicialmente, a impressão das imagens que serão transferidas posteriormente para substratos diversos (camisetas, canecas, canetas, etc.) por meio do calor e da pressão.

A impressão no papel transfer pode ser feita por mais de um tipo de impressora – jato de tinta, laser ou offset –, mas definir a versão que será utilizada é a primeira medida a ser tomada, uma vez que o papel tem de ser compatível com ela, assim como com o substrato e a tinta adotada.

No mercado, existe uma infinidade de papéis transfer. Por isso, separamos, a seguir, os principais tipos para que você entenda qual o mais adequado em cada situação. Confira:

Papel transfer adesivo

Este é um material que possui uma película adesiva sensível ao calor. Nesse caso, ela recebe a impressão primeiro para que, posteriormente, seja aplicada no substrato.

Em outras palavras, este é um processo que “solda” a película à superfície do substrato, a maneira antiga de se fazer transfer.

De acordo com Rubens Ioricci, da Papéis Havir, temos, atualmente, dois sistemas que podem usar adesivos com impressoras: “há a possibilidade de imprimir em impressoras digitais em folhas, nos formatos A3 ou A4 e depois cortar, ou seja, meio corte em plotter de recorte. Já existem, também, impressoras solventes de plotter de recorte que fazem as duas operações, ou seja, elas imprimem e fazem o meio corte”, afirma.

A grande vantagem do papel transfer adesivo é o fato de ele ser branco. Com isso, é possível imprimir a imagem em CMYK, deixando algumas áreas vazadas para que o fundo branco surja na transferência.

Papel transfer inkjet

O papel inkjet foi desenvolvido para o uso em impressoras a jato de tinta, ou seja, as de pequenos formatos. Normalmente, ele conta com várias camadas, cada uma com uma função distinta.

A camada superior do papel tem como objetivo fazer o gerenciamento de tinta. Logo abaixo, estão as camadas de ligação que ajudam a adesão da tinta durante a prensagem. E por fim, temos a última, responsável por desprendê-la dos elementos de ligação do papel.

Papel transfer para impressão a laser

Apesar de ter algumas similaridades com o papel inkjet, o papel destinado para impressão a laser possui uma camada superficial bastante diferente.

Com o transfer a laser, a película de toner fica apenas na superfície do papel. Mas, assim como o inkjet, toda a área além da imagem é transferida para o substrato.

É comum que muito calor seja gerado na impressão a laser, o que é considerado um problema para o papel. Além disso, a variedade de toners no mercado torna importante a realização de testes entre os sistemas de impressão e papéis para que seja possível encontrar a melhor combinação para o resultado.

“Recentemente, as impressoras a laser estão sendo utilizadas para fazer transfer em substratos plásticos. As imagens são impressas em folhas especiais que, depois, são transferidas em pequenas thermotransfers (películas). Com temperatura de 150° C e em poucos segundos, é possível realizar a transferência em copos, canetas e muitos outros itens para brindes”, ressalta Rubens.

Papel transfer sublimático

Usado para tintas sublimáticas de impressoras a janto de tinta e desenvolvido especialmente para o processo de sublimação, o papel transfer sublimático é composto por uma camada de polímeros combinada com agentes de destaque.

Como este papel não possui agente de ligação, nem toda a sua superfície é transferida. A tinta sublimática se transforma em gás durante a prensagem e depois se solidifica, penetrando nas fibras de polímero do substrato.

“A sublimação está condicionada a substratos sintéticos e brancos, materiais que resistam a temperatura de 200° C e com o tempo de 20 segundos para a transferência. Ela é utilizada em camisetas, bonés, materiais têxteis, almofadas e também em produtos que contenham uma resina sintética aplicada, como canecas de cerâmicas brancas, mousepad e squezze”, acrescenta.


Agora que você conhece melhor cada um dos tipos de papel transfer e as suas características, continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e acompanhe mais dicas.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *